Publicado por: Fred | dezembro 18, 2008

Coisa de criança?

Estava inclinado a fazer um post mais sério…  no entanto, devido a um outro blog achei interessante adiar esta idéia para comentar aqui sobre um tema que é muitas vezes, tal qual o RPG, visto como coisa de alienados ou de crianças e jovens…
Animes e mangás. Quem não viu, colecionou ou era fã de algum (ou ainda o é)?

Apesar do preconceito inerente a estes estilos de arte (porque não) existem muitos animes e mangás que são sim clássicos, e que são direcionados para um público mais maduro e inteligente, por exemplo o atual Death Note (que estão surgindo rumores de uma possível adaptação para os cinemas americanos) e Ghost in the Shell (que tem influencias em matrix). Lógico que existem diversos tipos de desenhos e quadrinhos direcionados a diversos públicos diferentes, alguns bons outros não dependendendo do gosto de cada um.

  • shoujo: são voltados para um público feminino jovem.
  • shounen: são voltados para um público masculino jovem.
  • seinen: animes voltados para adultos e adolescentes masculinos.
  • josei: animes voltados para adultos e adolescentes femininos.
  • kodomo: japonês para “criança”, são voltados para crianças menores.
  • mecha: animes caracterizados por robôs gigantes.
  • ecchi: japonês para “indecente”. O nome origina-se da leitura da letra H em inglês. Contém humor sexual bem moderado.
  • hentai: japonês para “tarado” ou “pervertido”, usado para descrever animes pornográficos. No entanto, no Japão os termos usados são Poruno ou Ero.
    • kemono (animais)
    • futanari (hermafroditas)
    • rorikon (crianças – adolescentes femininos)
    • shotakon (crianças – adolescentes masculinos)
    • yaoi (homossexualidade masculina)
      • shounen-ai: romance entre personagens masculinos.
    • yuri (homossexualidade feminina)
      • shoujo-ai: romance entre personagens femininos.
    • ero (adultos): no oriente Ero é conhecido como Hentai, assim Hentai é conhecido Ero.

Bleach

Naruto

Evangelion

É interessante notar que no Brasil, como não existia a procura por mangás e animes, salvo pelo público infantil, adolescente e jovem, as distribuidoras e os canais de televisão costumam adiquirir somente materiais voltados para esse tipo de público. Isso privou o público de alguns trabalhos mais refinados e interessantes. Nos últimos 10 anos houve uma boa aceitação entre o público brasileiro, e  apesar de recente, esse fenômeno conseguiu expandir o leque de trabalhos importados para cá, e agora já é mais fácil encontrar algumas obras de qualidade.

Então fica aqui a dica: Antes de ouvir pré-julgamentos, procure um mangá ou anime entre os vários estilos e títulos disponíveis e veja o que você acha.  Após começar a história você ficará louco pela continuação. Além do mais se você gostar não interessa o que os outros acham não é.

OBS pessoal: acho que vale frizar que minha defesa aqui não engloba cosplay, o qual acho desnecessário e exagerado… no entanto isso é questão de opnião, e não tenho nada contra quem goste…

Curiosidades:

  • As raízes do mangá estão no século VIII (período Nara) com a aparição dos primeiros rolos de pinturas japonesas: os emakimono. Eles associavam pinturas e textos que juntos contavam uma história à medida que eram desenrolados. Os mangás não tinham no entanto sua forma atual que surge no início do século XX sob influência de revistas comerciais ocidentais, provenientes dos Estados Unidos.
  • Após o fim da 2ª Guerra os americanos, ocupando o Japão, trouxeram uma grande influência para o estilo de fazer desenho e animação japonês. Nesse período um artista se destacou como pai dos mangás modernos, Osamu Tezuka tendo sido influenciado por artistas como Walt Disney e Max Fleischer. É ele quem introduz com exatidão os movimentos nas histórias através de efeitos gráficos, como linhas que dão a impressão de velocidade ou onomatopéias que se integram com a arte, destacando todas as ações que comportassem movimento, mas também, e acima de tudo, pela alternância de planos e de enquadramentos como os usados no cinema. As histórias ficaram mais longas e começaram a ser divididas em capítulos.
  • Osamu Tezuka era amigo pessoal de Mauricio de Souza.
  • Os mangás são publicados no Japão originalmente em revistas antológicas. Essas revistas com cerca de 300 à 800 páginas (em formato B5, 18,5 x 26 cm) são publicadas em periodicidades diversas que vão da semana ao trimestre. Elas trazem capítulos de várias séries diferentes. Cada capítulo normalmente tem entre dez e 40 páginas. Assim que atingem um número de páginas em torno de 160~200, é publicado um volume, chamado tankohon ou tankobon, no formato livro de bolso, que, aí sim, só contém histórias de uma série. Uma das revistas mais famosa é a Shonen Jump, que publicou trabalhos famosos como Dragon Ball, ou Cavaleiros do Zodíaco, Yu Yu Hakusho e continua publicando outra séries conhecidas como Naruto, One Piece, Bleach e Death Note. Outro detalhe é o preço dessas “revistas” que são muito acessíveis aos bolsos japoneses – a Shonen Jump por exemplo custa 240 ienes (em torno de 5 reais).

fontes: wikipedia e eu…

Publicado por: Fred | dezembro 3, 2008

Homem primata

De acordo com as teorias mais comumente aceites entre os antropólogos actuais, o Homo sapiens teve origem nas savanas de África entre 130.000 a 200.000 anos atrás, descendendo do Homo erectus, e terá colonizado a Eurásia e a Oceania há 40.000, colonizando as Américas apenas há 10.000 anos.

Tendo em conta que existe vida na Terra há mais de 3,5 bilhões (109) de anos, pode dizer-se que esta espécie é muito recente. Para uma avaliação mais clara, poderia fazer-se o seguinte paralelo: Se existisse vida há 10 dias, o homem teria aparecido no último minuto na África, há um segundo na Eurásia e Oceania, e apenas há 1/4 de segundo nas Américas.

Fonte: Wikipedia

E aqui estamos nós, aproximadamente 200 mil anos depois, e basicamente, mantendo os mesmos velhos habitos de sempre… continuamos territorialistas, ignorantes, mesquinhos e com uma visão muito estreita da vida e do mundo. Lógico que isso é uma generalização sem tamanho, mas basta analisar as estatísticas sobre desmatamento e violência, ou então os motivos de guerras ou conflitos políticos para perceber que a  raça humana de um modo geral, continua tão primitiva como sempre foi. E o pior é que mesmo estando a tão pouco tempo (geologicamente falando) no planeta conseguimos a proeza de estar a beira de colapsar o mesmo…

macaco

RIO – O relatório “Planeta vivo 2008”, divulgado nesta terça-feira pelo WWF, nosso consumo dos recursos naturais já excede em 30% a capacidade de o planeta se regenerar, revela Carlos Albuquerque em matéria publicada na edição desta quarta-feira do jornal O Globo. Se mantivermos o ritmo atual, somado ao crescimento populacional, em torno de 2030 precisaríamos de mais dois planetas para nos mantermos.

BRASÍLIA – O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, lançou nesta terça-feira o “Livro Vemelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção”, que traz uma lista de 625 espécies de animais nessa situação de risco. A última lista desse tipo, divulgada em 1989, continha 218 espécies ameaçadas, quase três vezes menos que a atual, que leva em conta dados de 2004.

BOMBAIM, Índia – Depois de 40 horas, forças especiais da polícia indiana puseram fim nesta sexta-feira à operação antiterror no hotel Oberoi, em Bombaim. Dois terroristas foram mortos e 93 hóspedes foram libertados. De acordo com agentes, os extremistas não mostraram qualquer remorso pela série de ataques na capital financeira da Índia que matou pelo menos 146 pessoas. Segundo autoridades, 30 corpos foram encontrados no Oberoi. Agentes realizam buscas no local.

CABUL – Quatro civis morreram e outras 15 pessoas ficaram feridas em um atentado suicida perpetrado hoje nas cercanias da embaixada americana em Cabul, no Afeganistão, informou uma fonte policial…

Os insurgentes talibãs aumentaram a freqüência dos atentados contra sedes oficiais afegãs ou interesses estrangeiros em Cabul, além de combater o Exército afegão e as forças internacionais destacadas no país…

Mais de 4.500 pessoas morreram vítimas da violência este ano no Afeganistão.

fonte: globo.com

terrorismo

 

poluiçao

 

Agora vejam bem, generalizando novamente (afinal uma espécie só pode ser julgada assim) o homem ainda vive em sua caverninha (mais caprichadas e aconchegantes), protegendo sua tribo (mesmo com um número bem maior de indivíduos) buscando sobreviver aos perigos que o cercam (em nossa luta no selvagem por dinheiro)…  ainda somos movidos pelo sexo (comprando, comendo e bebendo futilidades  somente para aumentarmos nossas chances de obter um parceiro sexual)… ainda temos divisões e guerras tribais (analogos desde nações até torcidas e grupos religiosos diferentes)…

A grande maioria da população faz vista grossa para os problemas ambientais, achando errôneamenre que não serão afetados, contribuindo assim com um quadro cada vez mais critico e irreversível… a maioria aceita líderes (religiosos, politicos, administrativos, etc) inescrupulosos, mesquinhos e gananciosos sem questionar, ou por medo, ignorância ou por simples apatia, sofrendo e/ou fazendo outros sofrerem com isso… enfim, num geral ainda somos muito primitivos…

Claro que o ser humano teve vários avanços em várias coisas, mas é triste como o ser humano manteve a maioria de nossos defeitos ancestrais simplesmente por costume, apatia ou comodismo. Estamos vivendo um momento muito importante para a humanidade, um momento de transição, um momento onde ou mudamos nossa atitude e visão do mundo e da vida ou então seremos responsáveis por nossa própria destruição da face da terra…

Quando será que sairemos de nossa caverna e iremos apreciar as estrelas? Talvez quando a caverna desabar sobre nossas cabeças em um apocalipse auto-infligido… ainda há tempo… muito pouco, mas há…

Publicado por: Fred | novembro 14, 2008

Sussuros e néons: RPG

Mais uma noite chuvosa e deprimente de sexta-feira. Combina com meu humor.

A cidade brilha com desejo, luxúria e pecados. Na escuridão noturna os vicíos e desejos reprimidos são liberados com toda intensidade negada durante o dia. Um estranho painel de neon em forma de crucifixo a algumas quadras brilha cativantemente, me convidando a saltar da sacada no 15º andar desse velho comodo apertado e sujo. Seria mais fácil assim, mas ainda tenho “assuntos pendentes”.

A chuva fina e melancólica me traz lembranças de quando eu era somente mais um sujeito normal na rua. Volto a me concentrar no momento, é mais importante. O som de passos apressados na escada indica que tenho pouco tempo. Após meses de sofrimento e agonia, finalmente eu terei minha vingança, não posso parar antes de concluir minha tarefa … já tinha ido longe demais para voltar atrás. A porta de aço alguns metros atrás de mim começa a retumbar com algo pesado martelando do outro lado, mas tive o cuidado de reforça-la antes de buscar esse abrigo.

Abaixo de mim, no chão, enormes olhos, vazios como um precípicio surgem dentro da poça de sangue em meus pés e me encaram. O cheiro de sangue mesclado com poeira e mofo irrita meu nariz, mas eu já não me preucupo mais. Ouço uma voz fria sussurando dentro de minha cabeça “Combinado”. Finalmente está concluido.

Com um grande impacto a porta finalmente é jogada longe. Por ela entram cinco homens, com todo tipo de armamento pesado, muitos deles desconhecidos da população, utilizados somente em situações extremas… como essa. O cômodo que eles invadiram é uma pequena saleta com uma “cozinha” dividida por uma meia parede de no máximo 15 metros quadrados, completamente arruinado, com marcas de um antigo incêndia por toda parte e pedaços de parede e piso quebrados ou faltando, além de ruinas de antigos móveis e objetos decorativos.

A queda da porta de aço joga poeira e detritos no ar dificultando a visão e formando estranhas figuras no ar. Todos os agentes apontam simultâneamente suas armas para o alvo, que está de costas para a porta. Aos pés dele estão alguns corpos dispostos em uma estranha simetria, sangue e algumas velas acesas. Um dos agentes adianta-se um passo e grita:

_ PARADO! Mãos na cabeça e nada de movimentos bruscos! Você não tem mais para onde correr …

Nesse instante a poeira que ainda não baixara por completo começa a se movimentar como se houvesse um pequeno ciclone se formando e de repente uma enorme rajada de ar explode jogando todos contra a parede.

_ E porque eu correria se vocês estão onde eu quero? _ uma voz gutural e sombria replica …

Tiros, explosões e gritos atravessam a noite imitando os relâmpagos. Sob uma pequena igreja, ha algumas quadras dali, um vulto se apoia na caixa da placa neon observando. Outra caçada iria começar.

dados rpg

Bom… este trexo acima é uma pequena história que fiz para ilustrar esse post, cujo tema é RPG.

Tão mal visto e impopular (se bem que ultimamente a mídia e os evangélicos se cançaram do assunto um pouco), este é, em minha humilde opnião o melhor jogo já criado, e deveria ser ensinado em todas as escolas.

Exagerado? Dependendo da abordagem educacional utilizada não é exagero não, sendo que eu mesmo aprendi com uma professora de literatura minha (abração professora Leila hehehe)… o RPG é um jogo baseado na criatividade e na imaginação, favorecendo o aumento destas, além de estimular o trabalho em grupo, socialização do individuo (você tem que interpretar na frente de outras pessoas, então nada de timidez) entre vários outros benefícios. Muito melhor que uma leitura que só estimula a imaginação da pessoa ne?

O grande diferencial é que na leitura você pode ter em mãos clássicos literários que são oásis para os neurônios, mas no RPG dependendo do mestre e da mesa (a pessoa que cria a história do jogo e os jogadores consecutivamente) você pode ficar sem esse benefício, devido a uma história fraca ou interpretações ruins, apesar de mesmo assim ainda estar utilizando mais massa cinzenta que a maioria dos outros jogos.

O objetivo deste post é esclarecer alguns pontos acerca deste jogo fabuloso, cujo nome significa JOGO DE INTERPRETAR PAPÉIS (Role Playing Game).

Em primeiro lugar saiba que o RPG é tão ameaçador e demoniaco quanto ler um livro de terror, aventura ou ficção e você corre tanto risco de morrer (ou matar alguem) quanto se você estivesse jogando paintball (sendo que este ultimo é muito mais violento). Um amigo meu em um forum disse uma vez algo que exemplifica bem a idiotice de associar violência ao RPG: se você estiver jogando banco imobiliário e ganhar o jogo você vai obrigar seu amigo a passar a escritura da casa dele para você porque você ganhou? Soa estranho isso não é… mas é a exatamente a mesma coisa dizer que ao jogar RPG você deve utilizar qualquer forma de violência para jogar… todos os casos de crimes envolvendo RPG que tiveram destaque na mídia foram comprovados depois que os crimes nada tinha a ver com o jogo e foram usados somente como bode expiatório para os assassinos… leia os detalhes aqui e aqui.

Em segundo lugar RPG é um misto de teatro com jogo de azar, o que significa que uma boa sessão de jogo depende de um bom mestre (a pessoa que cria a história, os coadjuvantes e descreve o “mundo” do jogo) para criar uma boa trama e de bons jogadores para aproveitar ao máximo da história e não transformar a sessão simplesmente em um joguinho de azar qualquer. Por isso se tem interesse em jogar, procure alguem que saiba jogar bem para lhe informar direito, e leia bastante mateirais relacionados ao tema que você vai jogar para lhe auxiliar a criar um bom personagem, pois isso enriquecerá a trama.

Por último, RPG NÃO É PARA QUALQUER PESSOA. Devido a possibilidade de abordar qualquer tema, infelizmente algumas pessoas não tem maturidade suficiente (ou bom senso) para perceber que ficção é somente ficção, e que um jogo é apenas um jogo. Lazer e nada mais. Como as pessoas não vem com etiquetas na testa dizendo “sou um mané imaturo e com problemas psicologicos que me envolvo em um mundo de fantasia para fugir de minha realidade insignificante” não podemos dizer quem pode e quem não pode jogar certos temas de rpg. Se um tema não te deixa avontade, simplesmente não jogue. Se você começar a jogar e começar a se sentir estranho ou ter sonhos estranhos e coisas do gênero, duas dicas: pare de jogar e procure um psicologo.

As perguntas que ouço frequentemente de quem não joga são:

COMO O JOGO FUNCIONA? COMO SE JOGA? E COMO SE GANHA NO RPG?

Seguinte: Lembra quando você era pequeninho(a) lá em Barbacena, que você e seus amiguinhos brincavam de polícia e bandido? Pois é, tirando a parte estupidamente infantil (ehhehe) é muito semelhante a isso. Você irá criar um personagem e irá interpretar este personagem para os outros jogadores (nas horas adequadas do jogo). Os limites para a criação do personagem só dependem do mestre e do jogador (e da história).

Voltando a brincadeira com seus amiguinhos, se por um acaso algum policial gritasse “BANG! ACERTEI VOCÊ! MORREU!” mas a outra criança gritasse “MATOU NADA! PASSOU DE RASPÃO!” como seria resolvido o impace? Nesse caso acho que iria rola uma briguinha infantil mas tudo bem. No RPG no entanto existem as jogadas de dados para não acontecer este tipo de problema. Ao criar o seu personagem você preenche uma ficha marcando em pontos as várias caracteristicas e habilidades que seu personagem possui, e assim, através dessa pontuação você jogará uma quantidade de dados representados por essa pontuação tendo que tirar nos dados valores superiores a um número definido pelo mestre como dificuldade de executar a ação desejada. Complicado? Então para facilitar, um exemplo seria:

Seu personagem está no meio de uma queda de braço e você marcou em sua ficha que ele possui apenas 2 pontos em FORÇA (afinal na história do seu personagem você o descreveu como alguém normal, nem forte nem fraco). Você então irá jogar DOIS dados para testar se é bem sucedido na queda de braço. O mestre lhe diz que a dificuldade para isso é 6 então você tem que tirar pelo menos 1 resultado igual ou maior que 6 a mais que o outro personagem para poder vencê-lo.

Existem vários sistemas de jogo e cada sistema possui variações nas regras de jogada de dados, mas basicamente o sistema é esse: os valores em sua ficha determinam um valor para sua jogada de dados com uma certa dificuldade (valor mínimo) determinada pelo mestre que você deve superar para ter êxito.

livros

Com relação a ganhar, no RPG pode-se dizer que todos os participantes “ganham” ao superar os desafios propostos pela história (mestre) e assim continuar crescendo e evoluindo. O mais próximo de perder no RPG seria a destruição do personagem, pois mesmo fracassando em uma empreitada (na história) seu personagem pode aprender valiosas lições.

Para fechar o post algumas curiosidades:

É aceito como data oficial de nascimento do RPG o ano de 1974, com o jogo Dungeons & Dragons (Masmorras e Dragões), criado por Gary Gygax e Dave Arnesion. No início, o D&D( abreviatura de Dungeons & Dragons), era um simples complemento para um outro jogo de peças de miniatura chamado Chainmail (cota de malha), mas terminou dando origem a um jogo totalmente diferente e inovador.

O jogo logo virou um desenho animado no ano de 1983, Caverna do Dragão. Este primeiro jogo era extremamente simples comparado aos jogos de RPG da atualidade e tinha uma origem influenciada por jogos de guerra/estratégia. Isto sempre levou muitos a crer que o jogo de representação e não apenas de matar, pilhar e destruir demorou a surgir.

Em 1986 a empresa Steve Jackson Games publica o jogo GURPS nos EUA, que vem a ter uma tradução para o portugues pela Devir em 1991. GURPS foi escolhido como o RPG mais realista do mundo e ganhou direito a um lugar de honra (Hall of Fame) em 2000 entre todos os livros do mundo.

Conta-se que Gary e Dave começaram o RPG em virtude de que estariam jogando um “wargame” (jogo de batalha entre miniaturas) e um dos dois disse ter construído uma fortaleza indestrutível. Como forma de invadir essa fortaleza, o adversário disse que 3 dos seus melhores guerreiros foram enviados para entrar nos esgotos da fortaleza para invadi-la. Com isso, surgiu a primeira aventura controlando um pequeno grupo de personagens, e assim começou a interpretação individual e não apenas de exércitos.

That’s all folks… espero que seja útil para quem está começando…


personagens


fontes: eu memo e http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=RPG_(jogo)

Publicado por: Fred | novembro 14, 2008

Entre o céu e a terra…

Realmente há muito mais entre o céu e a Terra do que supõe a nossa vã filosofia… Por mais cético que a pessoa possa ser, existem coisas que desafiam a ciência e  a lógica.

Como já disse sou fã de assuntos envolvendo misticismo e ufologia, apesar de me manter muito cético com o tema. Quando acontecem casos semelhantes ao da GoodChild “prevendo” aparições que não acontecem os mais céticos pulam de alegria gritando a toda altura que como sempre disseram, esse assunto é uma baboseira… Mas existem alguns casos que realmente chamam a atenção pela singularidade das circunstancias e fatos envolvidos.

Por exemplo um caso brasileiro de abduções e “ataques” OVNIs nomeado Operação Prato:

Existem também os casos de pinturas, cerêmica e outros que datam de centenas de anos atrás representando formas e figuras e objetos que seriam mais cabíveis hoje em dia:

Placa de Palenque colorida

Placa de Palenque (colorizada para facilitar a visualização)…
vai dizer que isso não te faz pensar em alguem dentro de um tipo de veículo??

escultura antiga

escultura antiga

Esculturas incas e pré-colombianas … lembram alguma coisa?

escultura antiga

E que tal a planície de nazca, no Peru, figuras que só podem ser vistas
de uma altura mínima de 300 metros acima do solo.

Obviamente como muitos céticos adoram frisar isso pode ser somente fruto de uma imaginação muito fértil por parte dos povos antigos, ou então uma simples associação humana de forma e constesto como fazemos quando vemos formas nas nuvens…  no entanto seria mais fácil aceitar que eles tiveram algum tipo de inspiração não?

Então eu continuo com sempre, duvido acreditando e acredito duvidando… não posso dizer que existe vida inteligente extraterrena (nos visitando ainda por cima) por falta de provas concretas inquestionáveis, mas tão pouco posso negá-la devido a quantidade de “coincidências” que a justificariam… porque deveriamos estar sozinhos nesse pequeno ponto azul afinal?

Publicado por: Fred | novembro 4, 2008

Nada de contato

Sempre tive um interesse enorme sobre ufologia, e me sentia extasiado com filmes e seriados que abordavam o tema. Justamente por isso me senti extremamente chateado com esse enorme circo que foi armado em torno de uma “predição” de avistamento para o dia 14 de outubro de 2008. O dia passou, muita gente ficou olhando pra cima em busca de sinais e se perguntando “onde estão?” e, no entanto, nenhum sinal de uma visita OVNI foi constatado em parte alguma, como obvio já era de se esperar.

As reações foram as mais diversas, desde “eu já sabia” até desapontamento e raiva. Não é estranho a comoção gerada por esse alarde, a quantidade de pessoas que realmente acreditaram? Bastava fazer uma pequena análise: A mensagem foi recebida de forma completamente duvidosa através da “médium” Blossom Goodchild, sendo o conteúdo desta mensagem uma gororoba nova era com ficção de segunda. Por favor né…

tentei encontrar o original que rolava mas só encontrei este abaixo:

Porque quem recebeu a incubência de transmitir uma mensagem de tamanha importância para a humanidade por uma raça deveras mais avançada que a nossa seria passada a uma pessoa que não demonstra ser uma fonte confiavel? Porque a mensagem se parece com as historinhas que já cansamos de ouvir por ae e não com uma mensagem avançada vinda de uma cultura realmente superior a nossa, de preferência com alguma prova, seja ela matemática, fisica, biologica ou qualquer coisa junto? Resumindo, logo de cara já é possivel perceber o fake sem tamanho que se tratava a história.

No entanto muitas pessoas acreditaram e ficaram olhando os céus em busca de um sinal dos loiros altos e dinamarqueses da “federação da luz” (alias nomezinho de segunda categoria heim?). Quando algumas pessoas, seja por divertimento ou por esperimento psicológico começaram a colocar imagens e comentários de visualizações de mentira em blogs e foruns, muitas pessoas tiveram a “confirmação” que precisavam… uma pesquisa pelo termo “october 14” no youtube mostra a quantidade de videos de avistamento falsos que foram publicados…

Então fica a pergunta, porque o ser humano precisa tanto se agarrar a “salvação” a ponto de perder o julgamento racional e apelar para fé pura e sem sentido? Antigamente haviam os deuses celestiais que deciam dos céus para nos mostrar a glória de um novo mundo melhor que este através da paz, amor, e etc, mas de algum tempo para cá começaram a surgir as histórias dos “deuses astronautas” (Erich von Däniken que o diga), convenientemente com as mesmas propostas, só que adaptadas. Só faltam começar as curas e transformarções …

Alien endeusado

Eu me considero um entusiasta da questão OVNI e realmente creio que exista vida inteligente fora da terra, apesar de não poder dizer se eles nos visitam, mesmo tendo uma vontade enorme de acreditar que sim. No entanto nós devemos raciocinar antes de saltar em um precipicio de fé cega. Porque uma raça tão inteligente e com tecnologia tão superior não entra em contato de forma mais objetiva conosco? Se eles não querem entrar em contato direto (talvez até “crescermos”) porque ficam “dando mole” nos céus? Se eles querem nos preparar para um contato porque não mandam mensagens objetivas sem se apresentar por enquanto até estarmos prontos?

Esse é o problema em se acreditar sem questionar, tal qual é ruim seguir credos sem questionar… você acaba se deixando levar por pessoas de má fé, sem caráter, querendo aproveitar uma onda sensacionalista para se elevar publicamente para adiquirir dinheiro ou status. Meu conselho seria, tenha fé no que seu coração te mostrar como verdadeiro mesmo se não for o que a maioria acredita ser a verdade, mas sempre utilize o maior don que Deus nos forneceu para lhe auxiliar a julgar sua fé: A INTELIGÊNCIA. Deus não nos daria um presente desses atoa né?

Cerebro Homer

Publicado por: Fred | outubro 31, 2008

Existe razão para existirmos?

Esses dias estava indo embora como rotineiramente faço, sabem como é, ônibos embalando o sono, nada pra fazer, fone no ouvido tocando um bom rock n’ roll… como sempre eu comecei a divagar e acabei retornando a uma pergunta que já faço a um bom tempo e que quero agora compartilhar com vocês…

Qual o motivo de existirmos? Digo, será que existe uma razão para a raça humana estar aqui?

Dependendo de como a pessoa pensa, do que acredita, ela pode responder “para servir a Deus” ou simplesmente “não existe razão, é um somente uma junção de coincidências”, entre outros pontos… No entanto eu vivo pensando cá com meus botões, tem algo estranho em imaginar uma entidade nos criando para participar de uma espécie de Big Brother universal de um único espectador onipotente e magnânimo…

Deus jogando

Um ponto que já discuti com muitos religiosos é que se Deus é onipotente (pode tudo), onipresente (está em todos os lugares) e oniciente (sabe de tudo) ele não poderia ser como a Biblia ou os outros livros sagrados e mitos o pintam, seria ilógico e sem sentido. Vou dar um pouco de enfase ao cristianismo pois é a religião mais facil de se discutir por esse lado do ocidente, mas a maior parte das crenças do mundo tem uma visão bem similar.

Vamos pegar somente um dos aspectos divinos: se ele é oniciente, ele já sabe ANTES DE TUDO ACONTECER qual serão as cenas “dos próximos capítulos” da novela divina. Consequentemente ele não teria que perder tempo imaginando quais de nós iriam seguir o seu plano inicial de salvação e quais seriam idiotas o suficiente para o contrariar (a exemplo do mito da serpente tentando eva).

Foi ele

Alguns poderiam afirmar (já fizeram isso comigo tantas vezes que perdi a conta) que mesmo sabendo ele poderia querer deixar a carruagem andar pois apesar de Deus JÁ SABER QUE O PECADOR VAI PECAR somos nós que fazemos nossas escolhas (os religiosos acham que isso significa livre arbítrio). Nesse caso entra em xeque a questão do livre arbítrio, afinal se ele já sabe, já existe uma pré-determinância inerente (indepedente do ser humano saber disso ou não). Se mesmo sabendo disso resolvermos descartar essa análise, teriamos um Deus muito sádico, pois tendo o poder de fazer uma criatura perfeita (sem erros de carater ou fisicos ou de qualquer espécie) desde o começo Ele preferiu fazer uma criatura falha, mesmo sabendo que esta viria a sofrer eternamente. Mesmo rezando muito ainda assim o pecador já estaria previamente condenado antes de nascer…

Rezando

Tendo em mente estes pontos (e sabendo que existem outras incoerências) acho dificil de acreditar que Deus tenha nos criado com um propósito maior que o proposito de existir de uma ameba.

Lógico que não quero ser prepotente de afirmar que o que digo é a verdade, ou o mais correto, pelo contrário, na verdade é a mais pura viagem ociosa de uma mente que gosta de aventuras ficcionais e filosóficas. No entanto gostaria de compartilhar o que muitos anos de curiosidade e pensamento intuitivo e inquisitivo me deram como provavel resposta:

Tudo e todos que existem, fazem parte de um grande sistema, uma máquina de proporções ilimitadas que é a vida, cada peça sustentando e sendo sustentada pelas outras. O grande objetivo do ser humano (e de todos os seres com capacidade para tal) é entender nossa parte nesse sistema, entender seu funcionamento aprendendo a intarigir nele de forma saudavel e eficiente para finalmente descobrir os grandes segredos da vida (os planos de Deus).

Isso me faz recordar esse fuzuê que aconteceu a pouco tempo sobre a aparição de um grande OVNI sobre a américa, mas isso fica para o próximo post.

Publicado por: Fred | outubro 28, 2008

Começando no Nada…

Este é meu post inicial na vida blogonauta, então gostaria de desejar as boas vindas aqueles que estão lendo essas palavras …

Pensei em muitas coisas parar começar, mas acho que o melhor seria iniciar explicando o motivo do nome deste blog, NADA NÃO É NADA:

Graças a meu pai, desde novo sempre tive a motivação de buscar entender a vida e o mundo que me cerca, e não seguir dogmas ou crenças alheias sem ao menos procurar olhar outros pontos de vista. Esse modo de ver a vida foi se desenvolvendo com os anos e adquiri gosto por estudar religiões, filosofia, misticismo, ciência e afins.

Alguns anos atrás estava em uma daquelas clássicas cenas de conversa de roda de amigos, e o assunto acabou descambando para filosofia e religião (cristianismo para ser mais exato). Após algumas ponderações chegamos ao tema da origem do universo. Esse tema dá bastante pano para manga pois é muito ambíguo e subjetivo, já que não existe um começo 100% definido (posteriormente pretendo conversar com vocês sobre este tema também ae sim colocarei melhor meu ponto de vista).

big-bang

Foi nesse ponto que eu comentei que não acho lógico haver “nada” antes de haver “algo”, seja o big-bang ou seja Deus, simplesmente porque se não havia nada, não haveria como saber se não havia nada antes de haver alguma coisa! Já que o nada é nada, não poderia haver nada, pois seria algo antes de algo… isso é bem complicado de explicar hehehe… realmente é de doer a massa cinzenta!

Temos então que NADA NÃO É NADA … NADA É ALGO, simplesmente uma descrição!

Um exemplo que posso dar para ilhustrar de forma bem tosca seria a meditação ZEN. Quando um mestre medita ele tenta “não fazer nada” mas isso por si só é fazer algo!

Claro que meus amigos ficaram doidos e riram muito.

Então dessa brincadeira de pensar surgiu esse nome que minha esposa lembrou na hora que estavamos procurando um nome ideal para o blog. Esse nome é um paradoxo,como quase tudo em nossas vidas, e é justamente sobre esses temas que pretendo bater um papo com cada um que tenha a paciência de ler aqui sempre que eu postar. Além disso pretendo falar sobre outros temas que eu gosto como RPG (que para mim é o melhor jogo que existe, se devidamente jogado), ficção, ciência, misticismo, ovnis, religiões… enfim, temas que instigam nossa mente a viajar até as fronteiras mais longinquas da existência (e do cosmos).

Então é isso… umabraço para todos aqueles que chegaram e para todos os que (espero) virão… e sejam muito bem vindos!

Categorias